(Leia aqui a parte 1 da entrevista sobre o pré-flop)

Mike Brady: Vamos passar para o pós-flop. É claro que em um episódio do podcast não poderemos cobrir todos os tópicos relacionados ao pós-flop no heads-up, então nem farei perguntas específicas. Vamos fazer diferente. Antes de gravar o podcast, pedi que você desse suas três principais dicas para jogar heads-up após o flop. Qual seria o seu primeiro conselho?

Doug Polk : Só precisamos de vários tamanhos no river. Aconselho você a construir uma estratégia para o flop e turn com apenas um tamanho. Quando chegar a sua vez, pense em qual tamanho você usar naquela textura. Cabe na sua mão? Se não, basta pedir mesa. Na minha opinião, as pessoas gostam de complicar demais as coisas, inclusive quando não deveriam. A maioria dos melhores jogadores de HU jogam exatamente como eu disse. Confie na compreensão deles: eles sabem o que estão fazendo.

Só precisaremos de vários tamanhos no river. Só aí precisamos de dois ranges – para uma aposta pequena e uma grande. E mesmo assim não em todas as texturas; em muitos casos, você pode se dar bem com um. Mas quando estamos fora de posição, muitas vezes é uma boa ideia fazer uma block bet de um quarto ou um terço do pote e um tamanho grande de dois terços para o pote inteiro. Teremos também dois tamanhos em posição, só que maiores: digamos, 2/3 do pote e 150% ou até all-in. Tenho certeza que você já se deparou com mãos em que precisa fazer overbet com todo o seu stack no river. Essa técnica geralmente é bastante divertida de usar.

Porém, aconselho você a jogar de forma mais simples até o river. Pensamos no melhor dimensionamento e aplicamos ou pedimos mesa.

MB: Quero enfatizar mais uma vez que Doug não está falando sobre o melhor dimensionamento para uma mão específica, mas sim sobre o melhor tamanho para todo o seu range em uma textura específica. Digamos no flop os solvers preferem usar apostas muito pequenas para c-bets, aproximadamente 20%. Siga esta recomendação e aposte 20% ou dê check, mas não aposte 20% com top pair e 67% com flushes.

DP: Mais uma nota. Quando você está jogando cash games contra vários oponentes, especialmente quando a mesa muda regularmente, geralmente não é necessário mascarar seu range. Mesmo que o oponente, após o showdown, entenda exatamente o que você está fazendo, uma situação em que você possa ser pego fazendo a mesma coisa quase nunca mais surgirá.

Porém, no heads-up, você joga muitas mãos contra o mesmo oponente e as situações se repetem com muito mais frequência. A sua estratégia ainda se desviará da ideal, isto é inevitável porque somos todos humanos. E assim, em muitos aspectos, o melhor conselho é não perseguir a pequena expectativa extra de um sistema de apostas complexo. Se você errar um pouco e seu oponente descobrir, ele começará a explorar seus tamanhos e você perderá muito mais. Então não invente nada e jogue com calma o flop e o turn com o mesmo tamanho.

MB: Isso mesmo. Vamos continuar. Seu segundo conselho?

DP: Alguns podem ficar surpresos, mas no heads-up, regularmente temos que blefar e até mesmo dar 3 barris sem absolutamente nenhuma equidade. Em outros formatos de mesa cheia, os ranges de todos são tight, então os blefes precisam de outs. Mesmo um par pequeno que você transforme em um blefe no turn pode conseguir uma trinca no river. No HU NL, de vez em quando blefamos com um lixo completo e vamos até o fim!

Digamos que fizemos call em uma 3-bet com A2s com 100 blinds deep. Em muitos bordos, teremos que apostar no flop, no turn e no river, mesmo que não tenhamos nada com nada. Por que? Exclusivamente porque desbloqueamos muitas mãos – todos os tipos de pares médios, segundos pares e outras combinações que pagam o flop e turn e foldam no river.

Em alguns casos, o solver usará um par de dois para esse propósito. Outra mão comum para esses blefes é um connector do pior naipe possível. Por exemplo, 43s. Pagamos a 3-bet e vimos o flop . Se o oponente der check, o solver nos oferece uma aposta de três barris. O que você pensaria de um homem que jogasse assim em uma mesa 6-max e mostrasse suas cartas? Que ele é um idiota que dá dinheiro. Mas no heads-up, esta é uma opção padrão e bastante razoável para jogar uma determinada parte do range.

Sim, claro, também teremos semi-blefes com straight draws, flush draws, etc., com os quais você pode barrelar. Infelizmente, o seu problema comum é que errar o draw, impede os seus adversários de desistirem no river. É por isso que raramente blefamos com flush draws altos: gostaríamos de ver essas mãos com nossos oponentes. E, portanto, os jogadores em posição devem frequentemente blefar sem equidade, mas com bons anti-blockers.

Sem posição, isso também acontece de vez em quando, mas com muito menos frequência. A razão é simples: os nossos bluffs fora de posição exigem mais equidade. Fora de posição, tendemos a jogar de forma menos agressiva e a usar tamanhos menores, por isso nossos draws precisam ser sutis e nossos blefes precisam ter equidade.

Classificação dos jogadores
4.6
Jogadores online
55,000
Bônus de depósito
100% até $600
Cliente Mobile
Softwares auxiliares
Outros
PLO8, Stud, Razz e outros jogos raros
Software com ótima usabilidade
Torneios com grandes garantidos
Bônus do GipsyTeam
$30 imediatamente ou até $600 de bônus para o primeiro depósito
Classificação dos jogadores
4.9
Jogadores online
122,000
Bônus de depósito
100% até $600
Cliente Mobile
Softwares auxiliares
Outros
Maiores garantidos da internet
Muitos jogos e promoções incomuns
Muito fácil de depositar e sacar
Bônus do GipsyTeam
Bônus de depósito de 100% até $600
Bônus para jogadores ativos
Classificação dos jogadores
4.6
Jogadores online
55,000
Bônus de depósito
100% até $600
Cliente Mobile
Softwares auxiliares
Outros
PLO8, Stud, Razz e outros jogos raros
Software com ótima usabilidade
Torneios com grandes garantidos
Bônus do GipsyTeam
$30 imediatamente ou até $600 de bônus para o primeiro depósito

MB: Ótimo! Acontece que você precisa procurar constantemente situações de blefe sem equidade, prestando atenção ao efeito dos blockers.

DP: Há algo mais só para você, Brady. Percebi uma coisa interessante em potes que foram aumentados quando há um flush draw no turn. Em posição, blefamos no turn com uma carta do naipe, sem equidade direta, aproveitando o fato de que nossa carta do naipe bloqueia algumas dos calls do nosso oponente com um flush draw. Em tal situação, o solver muitas vezes prefere apostar novamente quando nossa carta de naipe é pequena e faz check com uma carta grande. Não sei por que, mas os robôs definitivamente gostam.

MB: Sim, e também notei que quando o flush fecha, o solver gosta de blefar, porque ele tem um blocker de flush! Essa é a mecânica.

DP: Bem, às vezes você também tem que blefar, porque um blocker para flush draw ainda é melhor que dois. E quando nossa carta do naipe é pequena, bloqueamos menos flush draws fortes que nosso oponente paga no turn e folda river. Esta pode ser uma das razões pelas quais o solver escolhe estas mãos para blefar no turn.

Começamos a nos aprofundar na árvore de decisões. Queria apenas dar um exemplo específico de blefe sem equidade, levando em consideração as características da textura.

MB: Sim, ótimo. Acho que muitos dos nossos ouvintes gostaram deste fala específica para nerds do poker. Continuando. Qual seria o seu terceiro conselho?

DP: É útil em todos os tipos de poker. Quem não gosta de apostar por valor no river? Você está sentado aí com claramente a melhor mão, feliz consigo mesmo, sonhando com Vegas e o maldito Mirage ... Em vez disso, pergunte-se: com o que você vai blefar nesta situação? E faça isso sempre, literalmente sempre que fizer uma aposta de valor, deste minuto até o fim dos seus dias. Isso criará um hábito que fará de você um jogador mais forte, pois remodelará seu pensamento, dará equilíbrio ao jogo e lhe ensinará a respeitar a formação adequada do range.

MB: Acho que isso é muito importante. Todos nós sabemos como escolher boas mãos adicionais, mesmo os iniciantes; isso é feito intuitivamente. A sensibilidade não funciona com blefes; é necessária uma análise dos prós e contras de uma mão em uma textura específica. Isso requer prática. Se você seguir o caminho de menor resistência, poderá facilmente se transformar em um jogador que quase nunca blefa, simplesmente porque não quer forçar o cérebro. Então exercite seus músculos de blefe!

DP: Adoro isso. Sim, precisa ser desenvolvido. Tenha um dia de bíceps, um dia de pernas e um dia de blefe. Ótimo.

As pessoas são naturalmente avessas ao risco. Gostamos de correr pequenos riscos para obter grandes ganhos. É por isso que os torneios são tão populares, mas a mesma história acontece, por exemplo, em investimentos ou apostas. As pessoas adoram a ideia de fazer uma pequena aposta e ganhar um grande pote. E ninguém gosta de correr grandes riscos com pouco ganho. Isto é contrário à natureza humana.

Por exemplo, há $80 no pote e o solver diz, bem, estou all-in de $3.000. "O quê? Está louco", responderá o homem.

Em vez de se aprofundar nos cálculos e analisar se esta é a ação mais lucrativa, a pessoa segue suas emoções e se recusa a apostar tudo simplesmente porque não quer arriscar todo o seu stack por uma pequena parte dele. Na minha opinião, a transição de decisões emocionais para decisões racionais é o passo mais importante que precisa ser dado para que o poker deixe de ser um hobby e se torne uma profissão. Tomar as decisões certas, baseadas na matemática, e não construir uma estratégia baseada nas emoções – é exatamente isso que ensino no curso The End Boss System.

Se quiser jogar poker de alto nível, você terá que se acostumar a ser constantemente confrontado com escolhas muito difíceis. Se você espera ganhar dinheiro contra adversários fortes jogando apenas na sua zona de conforto, você está condenado. Aprenda a tomar decisões difíceis e será mais fácil para você em qualquer escalação.

MB: Onde você pode obter confiança na correção de decisões difíceis?

DP: Combinamos três dicas, mas darei a quarta pelo preço de três.

A sabedoria popular no poker diz que se você não sabe o que fazer, desista: desistir não tem nenhuma expectativa e é melhor do que cometer um erro caro.

Eu vejo isso de forma completamente diferente.

Na minha opinião, se você está hesitando, se quer dar um passo, mas não tem muita certeza, pise no acelerador! Sim, isso pode ser um erro caro. Não somos perfeitos, não temos todas as respostas. No entanto, toda a minha experiência jogando e trabalhando com outros jogadores regulares ao longo dos anos sugere que as pessoas sofrem muito mais não com decisões ousadas, mas com decisões conservadoras.

As pessoas só pensam em minimizar as perdas.

Acho que todos vocês já viram como bons jogadores empurram seus oponentes stack após stack e pensam: ok, esta foi uma jogada terrível! E então você verifica no solver e descobre que foi brilhante. Eles realmente encontraram o equilíbrio perfeito entre queimar e imprimir dinheiro? Quem sabe? Mas eles definitivamente não têm medo de correr riscos.

Então da próxima vez que você pensar em blefar no river e começar a pesar os prós e os contras, apenas relaxe e faça isso pelo bem de Doug. Só não me envie a conta mais tarde.