Em 2004, Josh Arieh conquistou o terceiro lugar no Evento Principal da WSOP (vencido pelo embaixador do PokerStars Greg Raymer) e, um ano depois, confirmou seu título como um forte jogador regular ao vivo ao ganhar um bracelete em um torneio PLO de $2.000. Parecia que ele tinha tudo para se tornar uma verdadeira estrela do poker, mas Josh rapidamente desapareceu nas sombras e nos 15 anos seguintes apareceu apenas ocasionalmente nos noticiários.

No entanto, tudo mudou em 2019, quando Arieh ficou em segundo lugar no $50.000 Players Championship. Os últimos três anos foram especialmente intensos: Josh tem mostrado consistentemente excelentes resultados em torneios de mixed games, ganhou 4 braceletes, compete todos os anos pelo título de Jogador do Ano e participou do bem-sucedido programa Game of Gold, do GGPoker.

O programa promete ser totalmente diferente dos programas de poker tradicionais.

Leia

— Foi uma experiência muito interessante, ficaria muito feliz em participar novamente. Segundo rumores, na segunda temporada pretendem aumentar o número de jogadores para 24 e prometem convidar alguns dos ex-participantes. Espero que haja 12 novos jogadores e 12 jogadores antigos. Tenho certeza que a segunda temporada será ainda maior e mais interessante. Muita gente compara Game of Gold a outros reality shows, mas já é óbvio que se trata de um produto independente de total sucesso. O primeiro episódio tem mais de 500 mil visualizações, mas o mais interessante está nos bastidores. Por exemplo, o público não viu como Fedor deu a Maria e a mim um seminário de poker de quatro horas no meu quarto e depois nos levou a um restaurante vegano. E até gostei de ir para lá!

Acho que na segunda temporada, ao longo das filmagens, os jogadores deveriam ficar em uma mansão para que ali vivessem sob o olhar constante das câmeras. As personalidades são o que há de mais interessante no show.

Na segunda etapa, Josh poderia ter ido parar no time de Nikita Luther, que escolhia por último, então teve duas escolhas seguidas. “Estar neste time será uma sentença de morte”, o comentário de Josh foi exibido no ar.

Porém, Nikita escolheu Lucas Robinson e Olga Ermolcheva, e Josh foi com Fedor Holz e Maria Ho. No final, os três terminaram na mesa final.

– Quando Nikita estava pensando em sua escolha, tentei fazer todo o possível para não olhar nos olhos dela. Eu realmente não queria me juntar ao time deles. Até Ali Nejad e os produtores perceberam isso, então esse momento foi ao ar, era tudo muito óbvio.

Maria e eu nos conhecemos há mil anos, temos muitos amigos em comum, mas nunca nos aproximamos. Mas no show, desde a primeira etapa, entramos no mesmo time e imediatamente ficamos amigos.

Cadastre-se usando este link para ganhar os bônus do GipsyTeam:
  • Aumento do bônus de primeiro depósito
  • Aumento de rakeback e em bônus
  • Ajuda com depósitos e saques
  • Acesso a freerolls exclusivos
  • Suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana

Na mesa final, Josh perdeu um grande pote para Fedor quando fez uma 5-bet all-in com e encontrou o alemão com ases.

— Um erro gravíssimo. Eu deveria ter pago a 3-bet dele. Por que decidi jogar uma grande mão contra o Fedor? Eu queria evitar isso. Eu tinha um bom plano, mas não consegui levá-lo até o fim. Com isso, Fedor perdeu no heads-up para Maria. Ela merece totalmente esse sucesso. Estive lá desde o início, tenho certeza que a vitória dele também teve minha contribuição.

Houve momentos no programa em que consegui colocar meus interesses antes dos da equipe. Estou feliz por ter conseguido evitar isso. Este não é um tipo de Sobrevivente onde você pode trair seu amigo porque você nunca mais o encontrará em sua vida. Seremos amigos de María e Fedor enquanto jogarmos poker. Seremos companheiros de equipe pelo resto de nossas vidas. O dinheiro acaba mais cedo ou mais tarde, mas as relações humanas permanecem.

Mais de um ano se passou entre a filmagem do programa e sua transmissão. Este período também foi muito agitado para Josh. No verão passado, ele ganhou dois braceletes, foi nomeado para o Poker Hall of Fame e estava lá quando seu amigo Daniel Weinman se tornou campeão mundial.

— Não vou mentir, o verão foi perfeito. Estou feliz por ter aproveitado ao máximo a oportunidade que se apresentou. É claro que erros técnicos não podem ser evitados nas fases finais de qualquer torneio, mas tenho os meus pontos fortes. Desta vez fiz 4 ou 5 deep runs, duas delas terminaram em vitórias, um resultado decente. Mas o principal evento do verão, e talvez até de toda a minha vida, foi o campeonato de Daniel. Somos muito próximos, ambos moramos em Atlanta, temos muitos interesses em comum: jogamos constantemente no computador juntos, vamos a séries e jogamos golfe. Minhas pessoas mais próximas são aquelas que conheço desde pequena. Conheci o Daniel já adulto, mas agora nos falamos quase todos os dias, então ele também faz parte do meu círculo íntimo.

Apesar da amizade, Josh não recebeu um centavo pelo resultado de Daniel.

— Só esquecemos de trocar, haha. Ele voltou para casa perto do início da série e voltou para o Main Event somente após ser convencido por Shaun Deeb. Esquecemos a tradicional troca de ações. Mas isso não importa nada. Eu amo muito o Daniel e fiquei feliz quando ele ganhou. Quando jogo torneios, estou completamente focado no jogo e não penso em mais nada. E aqui, olhando de lado, pude relaxar e desfrutar plenamente dessas emoções indescritíveis.

Torneio teve um dos 3-handed mais rápidos da história, com Daniel puxando dois potes gigntescos.

Leia

Daniel Weinman, Matt Glanz, Shaun Deeb e Josh Arieh são membros do que chamam de Team Lucky.

— No início da série, ganhei o quinto bracelete e alcancei o Shaun. Esta é outra pessoa muito próxima de mim. No dia seguinte estávamos todos torcendo por Shaun na mesa final quando ele ganhou seu sexto bracelete. O verão inteiro passou num momento de euforia. E na série recente nas Bahamas, Matt Glantz se destacou. Ele mal joga NLHE, mas de repente ganhou $800.000 no evento principal. Incrível. No final fiquei até surpreso por não ter conseguido o título.

O Poker Hall of Fame é outro sonho de Josh, mas ele sabe que há hora para tudo.

— Obviamente, Brian Rast merecia muito mais esse lugar agora. Ganhei muito nos últimos anos, mas antes disso tive um longo período sem sucesso. Ficarei feliz se algum dia for escolhido, mas há muitos candidatos dignos.

Há cerca de um ano, Shaun Deeb fez uma aposta com Bill Perkins para reduzir seu percentual de gordura corporal para 17%. Josh tem interesse nesta aposta, e não apenas financeiramente.

— Também tenho que chegar a 17%. Se nós dois conseguirmos, recebo 10% da participação. Shaun já perdeu cerca de 35kg, eu perdi cerca de 20kg e me sinto ótimo. Não esperava, mas gosto muito de acordar cedo todos os dias e fazer exercícios. Antes dessa aposta eu não sabia nada sobre alimentação saudável, toda a minha vida comi o que queria e quando queria. Agora comecei a contar calorias. Sempre fui fã de números e de vários cálculos matemáticos, então até isso teve suas vantagens. Mas agora sinto muito mais prazer quando como algo realmente gostoso.

Confira as melhores promoções agora
Race semanal de $1,600 para jogadores de cash
Sem prazo
Bônus de 100% no primeiro depósito até $600 e tíquetes gratuitos de Spins e MTT
Sem prazo

Josh celebrará seu 50º aniversário em setembro e outro grande evento está planejado para este ano: um casamento com sua namorada Rachel.

– Ela é minha melhor amiga. Eu não poderia dizer isso sobre nenhuma das minhas namoradas anteriores. Já fui casado, tenho filhos (Ed.: Arieh falou muito calorosamente sobre sua primeira esposa e filhos nas transmissões da ESPN do torneio principal da World Series de 2004). Eu os amo loucamente e não me arrependo de nada. Mas, para ser sincero, quando eu tinha 20 e poucos anos ainda não estava pronto para a vida familiar. Eu provavelmente deveria ter terminado esse relacionamento muito antes. Mas sou daopinião que sem os erros do passado não estaria onde estou agora. Então não me arrependo de nada.

Depois de voltar para casa da World Series, Josh recebeu uma proposta inesperada de um amigo: “Você gostaria de jogar golfe com Trump?”

— Deixei tudo, peguei o primeiro avião e voei. E foi isso que percebi: Trump é uma cópia de Phil Hellmuth. Cada vez que ele dizia alguma coisa, eu ficava imaginava Phil.

As reações ao encontro com Trump foram mistas nas redes sociais.

— Alguns me escreveram mensagens furiosas, outros, pelo contrário, ficaram felizes e exigiram detalhes. Eu jogaria golfe com qualquer pessoa que tenha alcançado grande sucesso na vida. Não importa o que você sinta pessoalmente por ele, esses convites não serão rejeitados. Trump é um bilionário, 70 milhões de pessoas votaram nele! E eu pensei que ele estava realmente tentando ser legal naquele dia. No acampamento, todos se referiam a ele como “chefe”. A certa altura, meu amigo perguntou: “Chefe, você quer ver os troféus de Josh?” Entreguei-lhe meu bracelete, ele ficou olhando. Então ele me perguntou onde eu morava e, quando descobriu sobre Atlanta, disse: “É lá que uma senhora está tentando me processar por fraude eleitoral”.

Depois jantamos e um de seus netos se juntou a nós. Então o comportamento de Trump mudou drasticamente, ele começou a sorrir e a abraçá-lo. Foi ótimo ver seu lado humano. Com certeza nunca esquecerei aquele encontro.

Para mim é importante aprender algo novo todos os dias e ser melhor. É por isso que tento me cercar de pessoas inteligentes. Este é o principal fator do meu sucesso nos últimos 4 ou 5 anos. Meu objetivo é ser a pessoa mais estúpida da turma.